CALIBRAÇÃO AUTOMÁTICA DE UM MODELO DE SEDIMENTOS EM REGIÕES COM ESCASSEZ DE DADOS

Autores

Hugo de Oliveira Fagundes, Juan Martin Bravo

Resumo

A etapa de calibração é uma das mais importantes durante a aplicação de modelos matemáticos que simulam processos relacionados aos recursos hídricos. Esse trabalho investigou a melhor forma de calibrar modelos matemáticos em regiões com escassez de dados observados a partir do uso de diferentes métricas estatísticas. Para isso, utilizou-se o algoritmo de otimização multi-objetivo MOCOM-UA juntamente com o modelo hidrossedimentológico de grandes bacias MGB-SED. 8 métricas (r, NSE, KGE, ?, RMSE, BIAS, ? e DCPerm), 3 parâmetros do modelo (MUSLE?, MUSLE? e TKS) e 3 conjuntos de dados (4, 12 e ~150 observações/ano) foram utilizados para realizar 58 experimentos de calibração automática. De acordo com os resultados, os valores das métricas foram parecidos para a maioria dos experimentos, apresentando também pouca variação para a mediana. As menores variações ocorreram nos experimentos em que se utilizou 4 dados/ano. O conjunto de métricas utilizados no processo de calibração automática que resultou em melhores valores para as 8 métricas foi o r, BIAS e DCPerm. As estatísticas mostraram que os resultados foram melhores ao usar ~150 dados/ano, mas que os valores das métricas não foram consideravelmente superiores do que quando se usou 4 dados/ano.

Compartilhe

Autores

  • infoHugo de Oliveira Fagundes

    Instituição

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

    Departamento

  • infoJuan Martin Bravo

    Instituição

    Universidade Federal do Rio Grande do Sul

    Departamento

Palavras-chave

Erosão, MGB-SED, MOCOM-UA

Tema

Modelagem Hidrossedimentológica

Evento

XXIII SBRH - Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos

Publicação